sexta-feira, 26 de março de 2010

Para qualquer problema, há sempre uma saída...



Certa vez , um homem foi acusado de um crime que não cometeu. Ele sabia que tudo seria feito para condená-lo. O juiz simulou um julgamento justo, fazendo ao final uma proposta ao acusado:

- Vou escrever em um pedaço de papel a palavra "inocente" e em outro a palavra "culpado". Você sorteia um dos papéis e aquele que pegar será o seu veredicto.

Sem o acusado perceber, o juiz escreveu nos dois papéis a palavra "culpado", de maneira que, naquele instante, não existia nenhuma chance de o acusado se livrar da forca. Não havia saída. Não havia alternativas para o pobre homem. O juiz colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um. O homem pensou alguns segundos, e, pressentindo a armadilha, pegou um dos papéis e rapidamente o colocou na boca e engoliu.

- Mas o que você fez? E agora? - disse o juiz. - Como vamos saber qual o seu veredicto?

- É muito fácil - respondeu o acusado - Basta olhar o papel que sobrou e saberemos que acabei engolindo o seu contrário. Imediatamente o homem foi libertado.

Moral da história: por mais difícil que seja uma situação, nunca deixe de acreditar até o último momento. Para qualquer problema, há sempre uma saída.

Texto extraído do livro "O que podemos aprender com os gansos" da autoria de Alexandre Rangel publicado pela Editora Original.

2 comentários:

emília disse...

Boa noite amiga!Adorei o texto e serve como uma boa reflexão.
Realmente,no fim sempre dá certo e para todos os caminhos há sempre uma saída.Não costumo sofrer por antecipação..vou resolvendo meus problemas a medida que vão aparecendo,e acho isso muito bom.
Aproveito para desjar-lhe uma Feliz Páscoa.
Emilia

Valquiria Rita Geraldini disse...

Olá, Emília!
Fiquei feliz em saber que gostou do texto!
Feliz Páscoa para você também!