quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Sugestões para 2010



Mais algumas horas e já estamos em 2010! Deixo aqui algumas sugestões para o novo ano:

Onde houver:

Ressentimento pratique o perdão.

Cobrança pratique a flexibilidade.

Controle pratique a confiança.

Rotina pratique a criatividade.

Medo pratique a coragem.

Confronto pratique a negociação.

Resistência pratique a aceitação.

Uma excelente passagem de ano para todos!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Feliz 2010!!!!



Mais um ano chegando ao fim... E já começamos fazer um balanço de 2009 e estabelecer metas para 2010.

"O grande barato é olhar para trás e sentir orgulho. É viver cada momento e construir a felicidade aqui e agora. Claro que a vida prega peças. O bolo não cresce, o pneu fura, chove demais, perdemos pessoas que amamos...

Mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar, pelo menos uma vez ao dia? Tem sentido estragar o dia por causa de um discussão na ida ao trabalho?

Eu quero viver bem... E você? 2009 foi um ano cheio de coisas boas, mas também de problemas e desilusões, tristezas e perdas, reencontros... Normal... 2010 não vai ser diferente. Muda o século, o milênio muda, mas o Homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas, e aí? Fazer o que? Acabar com seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?

O que eu desejo para todos nós é sabedoria. E que todos nós saibamos transformar tudo em uma boa experiência. O nosso desejo não se realizou? Beleza... Não estava na hora, não deveria ser a melhor coisa para esse momento (me lembro sempre de uma frase que ouvi e adoro: "cuidado com seus sonhos, desejos, eles podem se tornar realidade").

Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano...

Mas, se a gente entender e permitir olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes. Desejo para todo mundo esse olhar especial!

2010 pode ser um ano especial, se nosso olhar for diferente. Pode ser muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso. Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro. 2010 pode ser o máximo, maravilhoso, lindo, especial!

Depende de mim... De você

Pode ser.. E que seja! (Arnaldo Jabor)"

Um lindo Natal e feliz 2010 para vocês!

sábado, 12 de dezembro de 2009

Florais para o final de ano



Compartilho o interessante e-mail que recebi esta semana da empresa Disk Floral:

Sentimentos que surgem no final de ano podem ser tratados com Florais de Bach

A angústia de ter de passar as festas com familiares com os quais, muitas vezes, não se tem qualquer afinidade; a frustração de não ter conseguido alcançar seus objetivos durante o ano e até a tristeza de ter terminado um relacionamento ou de ter perdido um ente queridos são sentimentos podem ser tratados com os Florais de Bach originais

Fim de ano é tempo de alegria, confraternização e trocas de presentes. Certo? Nem sempre. Essa época também carrega em si, para muitas pessoas, lembranças de perdas, separações, reencontros por vezes desagradáveis e muitas obrigações. Sem contar o saldo frustrante de poucas realizações em relação aos planos feitos no final do ano anterior...

Os Florais de Bach originais, essências de 38 plantas que ajudam no restabelecimento do organismo, podem auxiliar – e muito – no combate aos sentimentos contraditórios que surgem nessa época do ano, que deveria ser só de alegrias. A Educadora em Florais Maria Aparecida das Neves, uma das brasileiras que mais entendem dessa terapia e que a estuda constantemente, dá dicas para acabar com os conflitos que surgem nessa época e aproveitar melhor o final de ano:

Se a época lhe traz recordações de perdas de entes queridos ou separações, como fim de namoro ou casamento, e o sentimento que emerge em decorrência disto é uma tristeza profunda, a melhor indicação é o floral Mustard, que ajuda a acabar com a tristeza, trazendo a luz e o calor da alegria. Se as perdas deixaram a pessoa traumatizada, o indicado é o Star of Bethelehem, que traz consolo e alivia a tristeza.

Se você teve uma grande perda justamente nessa época, em anos anteriores, e fica saudosista, como se estivesse preso ao passado, o melhor é utilizar Honeysuckle, que ajuda na libertação de um passado e traz a pessoa para a vivência do presente.

Se você se sente desvalorizado porque não alcançou seus objetivos, os florais também podem ajudá-lo. Nesse caso, a terapeuta indica o Larch, que restaura a autoconfiança.

Para enfrentar a realidade de um novo ano e de uma nova batalha, outros florais podem ajudar: se estiver sem rumo ou direção – não sabendo o que fazer da vida – tome Wild Oat que ajuda a pessoa a encontrar a direção rumo à realização e satisfação. Se estiver sem coragem, com medo do que está por vir, o floral é o Mimulus, indicado para quem sofre de medos conhecidos e cotidianos. Para quem não projeta seua felicidade no presente – e fica vivendo no futuro – o floral mais adequado é o Clematis.

Se você fica contrariado por ter de passar as festas com pessoas que nem sempre lhe agradam, isso pode despertar sentimentos como ódio e raiva, que acabam com a felicidade. Nestes casos, o floral Holly, que trabalha com o Amor Universal, ajudará a aceitar a situação e no despertar do amor.

Se você faz o que não gosta por não sabe dizer não, use o floral Centaury, que pode aumentar a força interior para se preparar e enfrentar o domínio dos outros.

Se, no amigo secreto do trabalho, você tirou aquela pessoa da qual não gosta, use o floral Walnut, indicado para que a manutenção da individualidade. A pessoa não se influencia pelos outros.

Para saber mais: Livro: Um convite à harmonia: como os Florais de Bach contribuem para o despertar do equilíbrio e da paz interior / Autora: Valquiria Rita Geraldini / Edições Inteligentes Pedidos no Disq Floral: (11) 30815217 / Informações sobre atendimentos em Terapia Floral: floraisesaude@gmail.com

sábado, 5 de dezembro de 2009

Respiração



A respiração pode ser sua aliada no combate das emoções negativas. Dissolva a ansiedade, a raiva, o medo, a irritação e o stress, tão comuns no final do ano, respirando pelo nariz e levando o ar até o abdômen, no seguinte ritmo: inpire em 4 segundos, segure o ar durante 2 segundos (sem tensão) e expire em 9 segundos.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Viva o otimismo!!!!



Mulheres de bem com a vida são mais saudáveis e vivem mais. Essa foi a conclusão de um estudo publicado na revista científica Circulation, da Associação Americana do Coração, envolvendo quase 100 mil voluntárias. Os resultados mostraram que as otimistas têm 9% menos chance de sofrer com problemas do coração e um risco 14% menor de se vitimar por algum outro tipo de doença. Já as pessimistas apresentaram índices elevados de colesterol e pressão alta. Segundo os especialistas, pessoas positivas se cuidam mais e emoções negativas fazem com que a circulação sanguínea receba uma enxurrada de substâncias, principalmente adrenalina e cortisol, os chamados hormônios do estresse, que prejudicam o coração e o sistema imunológico.

Fonte: Revista Bons Fluidos, número 128

domingo, 22 de novembro de 2009

Para pensar...



Participo todas as quintas feiras de um grupo terapêutico. Semanalmente o terapeuta que coordena o grupo lê um texto e pede para que todos os participantes façam comentários sobre o tema. Compartilho com vocês o texto desta última quinta o qual achei super interessante. Infelizmente não temos o nome do autor.

Miolo de Pão

Um casal tomava café no dia das suas bodas de ouro. A mulher passou a manteiga na casca do pão e deu para seu marido, ficando com o miolo.

Pensou ela: "Sempre quis comer a melhor parte do pão, mas amo demais meu marido e, por 50 anos, sempre lhe dei o miolo. Mas hoje quis satisfazer o meu desejo."

Para sua imediata surpresa, o rosto do marido abriu-se num sorriso sem fim e ele lhe disse:

"Muito obrigado por este presente meu amor! Durante 50 anos, sempre quis comer a casca do pão, mas como você sempre gostou tanto dela, eu jamais ousei pedir!"

Assim é a vida... muitas vezes nosso julgamento sobre a felicidade alheia pode ser responsável pela nossa infelicidade.

Diálogo, franqueza, com delicadeza sempre, são o melhor remédio.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Técnica para auxiliar na recuperação da saúde


Use esta técnica quando:
- Quando não se sentir bem.
- Quando receber um diagnóstico perturbador.
- Quando estiver sentindo dor.
- Quando quiser mais vitalidade.
- Quando sentir um vago medo em relação ao seu corpo.
Deite-se confortavelmente para praticar essa técnica - quanto mais confortável, melhor. Disponha de cerca de 15 minutos sem ser perturbado.
Copie a lista abaixo e, ao deitar, leia-a vagarosamente:
-É natural para o meu corpo estar bem.
-Mesmo que eu não saiba o que fazer para melhorar, meu corpo sabe.
-Minhas células sabem como alcançar o equilíbrio.
-Quando este problema começou, eu não sabia o que sei agora.
-Se soubesse na época o que sei agora, o problema não teria começado.
-Não preciso entender a causa desta doença.
-Não preciso explicar como estou experimentando esta doença.
-Eu apenas tenho de calmamente, finalmente, me livrar desta doença.
-Não importa como começou, porque ela está mudando de rumo neste exato momento.
-É natural que meu corpo leve algum tempo para se alinhar com meus pensamentos de bem estar.
-Não há nenhuma pressa.
-Meu corpo sabe o que fazer.
-O bem estar é um estado natural para mim.
-Meu ser interior é essencialmente consciente do meu corpo físico.
-Minhas células estão pedindo o que precisam para se desenvolver e minha fonte de energia está respondendo a este pedido.
-Estou em muito boas mãos.
-Agora vou relaxar para permitir a comunicação entre meu corpo e minha fonte de energia.
-Meu único trabalho é relaxar e respirar.
-Sou capaz de fazer isso.
-Sou capaz de fazer isso facilmente.
Agora, apenas fique deitado, aproveitando o conforto do colchão. Concentre-se na sua respiração, inspirando e expirando. Seu objetivo é estar o mais confortável possível. Agora, se puder, adormeça. Sorria por saber que tudo está bem. Respire, relaxe e confie.
Esta técnica foi retirada do livro: Peça e será atendido da autoria de Esther e Jerry Hicks e publicado pela Editora Sextante.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Pesquisa com o óleo essencial de lavanda



A ciência está prestes a demonstrar o que a sabedoria popular já indicava: o óleo essencial de lavanda tem efeito ansiolítico. A informação vem do departamento de psicobiologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), que faz pesquisas há quatro anos com os óleos essenciais. Dessa vez, o foco são os benefícios da lavanda, testada inicialmente em ratos. O resultado mostrou a diminuição no grau de emocionabilidade dos animais. "É bem possível que o efeito em humanos seja semelhante", afirma Rita Mattei Persoli, bióloga responsável pelo estudo. O óleo essencial de lavanda mostra-se como sendo um excelente aliado ao combate da ansiedade.

Para saber mais: http://viverbemparavivermuito.blogspot.com/2008/07/dica-de-aromaterapia.html#links

Fonte: Revista Bons Fluidos, número 113

sábado, 24 de outubro de 2009

A linguagem das cores



Você já reparou que não existe uma pessoa que ache a primavera uma estação sem graça? E parou para pensar como é maravilhoso trabalhar com a harmonia das cores em tudo que fazemos?

No Antigo Egito, as cores branco, azul, rosa e amarelo significavam para os sacerdotes uma graduação de poder. Hoje, em meio às preocupações do dia a dia, nós esquecemos às vezes até a cor da roupa que usamos no dia anterior.

Estas são as sete cores básicas, seus significados e associações:

  • Vermelho - energia - fogo
  • Branco - paz - nuvens
  • Azul - tranquilidade - céu
  • Amarelo - vitalidade - sol
  • Verde - esperança - vegetação
  • Marrom - humildade - terra
  • Preto - neutralidade - noite

As cores devem ser elaboradas, na medida do possível, para comunicar, trazendo uma sensação. É possível usá-las no ambiente de trabalho e em casa.

O Universo que nos rodeia, a natureza que compõe o cenário total de nossa existência, tudo possui um equilíbrio em seu colorido; o arco íris possui diversas cores bastante equilibradas. Isso pode ser de grande ajuda em nossa vida, que é constituída de energia e vibração.

Abaixo, segue uma tabela para você optar:

  • Vermelho: fortalece a vontade, a determinação e a coragem.
  • Branco: proporciona tranquilidade, trazendo e transmitindo paz.
  • Azul: fortalece a bondade, trazendo inspiração e comunicação.
  • Amarelo: transmite segurança, trazendo concentração e alegria.
  • Verde: favorece a adaptação, trazendo versatilidade e simpatia.
  • Marrom: fortalece o autodomínio, trazendo receptividade.
  • Preto: realça o mistério, trazendo autocontrole e sensualidade.

Procure harmonizar as cores de acordo com sua personalidade e seu momento.

Fonte: Livro Sedução da autoria de Teca Jorge / Editora Gente

domingo, 11 de outubro de 2009

Feliz dia das crianças!



Ser criança é acreditar que tudo é possível.

É ser inesquecivelmente feliz com muito pouco.

É se tornar gigante diante de gigantescos pequenos obstáculos.

Ser criança é fazer amigos antes mesmo de saber o nome deles.

É conseguir perdoar muito mais fácil do que brigar.

Ser criança é ter o dia mais feliz da vida, todos os dias.

Ser criança é o que a gente nunca deveria deixar de ser.

Gilberto dos Reis

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Cuide dos seus hábitos!



"Somos o que fazemos repetidamente. Por isso o mérito não está na ação e sim no hábito."

Aristóteles

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Uma feliz primavera para você!



O ano passou rápido e chegamos à primavera. Tempo de renovação da vida onde ressurgem as flores, onde há mais vitalidade no ar e é um bom tempo também para perceber que a vida é um constante renovar num ciclo infindável que compreende as estações do ano, os ciclos lunares, os ciclos mentruais, os ciclos que vão do semear ao florescer, do frutificar ao morrer. O tempo de chegar e o tempo de partir...

Uma feliz primavera para você!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Edward Bach e os Florais de Bach


No próximo dia 24 de setembro, comemora-se o aniversário do médico inglês Edward Bach que criou os Florais de Bach na década de 30. Aqui em São Paulo haverá um encontro de Terapeutas Florais, do qual eu vou participar, em comemoração ao seu aniversário.
Compartilho um trecho do capítulo VIII de sua obra Os Remédios Florais do Dr. Bach publicada pela Editora Pensamento.
"Cabe a nós praticar a paz e a harmonia, a individualidade e a firmeza de propósito, e desenvolver progressivamente o conhecimento de que, em essência, somos de origem Divina, filhos do Criador, e, portanto, temos dentro de nós o poder de alcançar a perfeição se apenas o desenvolvermos, como o faremos, seguramente, mais cedo ou mais tarde. E essa realidade deve crescer em nós até que se torne o traço mais marcante de nossa existência. Devemos praticar firmemente a paz, imaginando nossa mente como um lago sempre calmo, sem agitações, sem mesmo ondulações para perturbar sua tranquilidade e, aos poucos, desenvolver esse estado de paz até que nenhum acontecimento da vida, nenhuma circunstância, nenhuma outra personalidade seja capaz, sob qualquer condição, de encrespar a superfície do lago ou de despertar em nós sentimentos de irritabilidade, depressão ou dúvida. Ajudar-nos-á efetivamente reservar poucos momentos diários para pensar serenamente na beleza da paz e nos benefícios da calma, e compreender que não é através de preocupação ou de ansiedade que poderemos realizar mais; mas sim, que nos tornamos mais eficientes em tudo o que empreendemos, através de pensamentos e ações calmos e serenos."
Para saber mais: Livro: Um convite à harmonia: como os Florais de Bach contribuem para o despertar do equilíbrio e da paz interior / Autora: Valquiria Rita Geraldini / Edições Inteligentes Pedidos no Disq Floral: (11) 30815217 / Informações sobre atendimentos em Terapia Floral: floraisesaude@gmail.com

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Coragem sempre!!!!

Achei este vídeo um convite para a superação dos nossos medos!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

As palavras são poderosas!!!


A neurolinguística é um método psicoterapêutico criado nos Estados Unidos que estuda a relação entre a linguagem e o funcionamento cerebral. Saber da importância das palavras nos alerta com relação ao seu uso. Por exemplo, se alguém vive repetindo que sua vida é um inferno, está reforçando cada vez mais a idéia do sofrimento em sua existência. As constantes repetições levam a crenças, as crenças levam aos hábitos; os hábitos levam à formação do caráter e também a realidade concreta. Desta forma, explica-se a importância de repetirmos palavras ou frases positivas. Fique atento ao que você fala! As palavras tem poder!

domingo, 30 de agosto de 2009

Escolhas

Tenho observado um grande número de pessoas que procuram orientação terapêutica em meu consultório por terem dificuldades em realizar escolhas.

Esta semana lendo o livro "As sete leis espirituais do sucesso" de Deepak Chopra encontrei uma dica que pode trazer iluminação para quem se encontra diante da necessidade de tomar uma decisão ou efetuar uma escolha.

"Toda vez que você fizer uma escolha, pergunte: "Quais serão as consequências desta escolha?" ou "Esta escolha trará satisfação e felicidade a mim e aos outros que serão afetados por ela?". Pedir, então, orientação ao coração e seguir a mensagem enviada por ele de conforto ou de desconforto. Se for de conforto, entregar-se totalmente a ela. Se for de desconforto, parar para ver as consequências daquele ato com sua visão interior. Essa orientação permitirá fazer escolhas corretas espontâneas tanto para você quanto para os que o circundam."

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

A rosa


O poeta costumava passear - acompanhado de uma garota - em uma praça onde havia uma mendiga com a mão estendida. A mulher estava sempre sentada no mesmo lugar, sem olhar os transeuntes nem implorar-lhes esmolas, e tampouco demonstrava ficar agradecida quando recebia algum donativo. Embora sua amiga amiúde lhe desse uma moeda, Rilke nunca dava esmola à mulher. Certa vez, a jovem perguntou ao poeta o motivo pelo qual não lhe dava nada, ao que este respondeu:
- É o coração dela que precisa de um presente, não sua mão.
Alguns dias depois, Rilke depositou uma rosa na mão rachada da mendiga. Então aconteceu uma coisa inesperada: a mulher levantou o olhar e, depois de beijar efusivamente a mão do poeta, saiu do lugar brandindo a rosa. O lugar da mendiga permaneceu vazio durante toda uma semana e uma vez transcorrida voltou a ocupar seu espaço.
- Mas de que ela viveu todos estes dias, se não esteve pedindo na praça? - perguntou a garota.
E Rilke respondeu:
- Da rosa.
Retirado do livro " Amor em Minúscula" do autor Francesc Miralles, Editora Record

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Para ser feliz...



Para ser feliz, nada melhor do que trocar preocupações por ocupações.

sábado, 1 de agosto de 2009

Realizando mudanças

“Há dois ciclos que afetam nossa vida: influência e preocupação. O ciclo de influência é o ciclo interno dos nossos valores, visão, crenças, atitudes e pensamentos. É sobre aspectos que temos controle. O ciclo de preocupação é o ciclo externo que compreende as políticas do governo, as condições econômicas e a competição global. É sobre aspectos que estão além do nosso controle. Quando ficamos muito preocupados sobre o ciclo externo, isso pressiona o ciclo interno e afeta a efetividade da mudança. Mas quando expandimos nosso ciclo interno de influência, nos tornamos pró-ativos. Somos capazes de focar nas coisas que temos controle direto e que produzem a energia positiva que traz a mudança que queremos.”
BK Usha, Self Managing Leadership, Om Shanti Press, Abu Road, Índia

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Dica de livro

Terminei nesta semana, a leitura do romance "Amor em Minúscula" escrito pelo espanhol Francesc Miralles. O livro é uma delicada e doce história mostrando que um pequeno gesto de bondade pode desatar uma cadeia de acontecimentos que lhe devolvem um amor multiplicado. Adorei a leitura e recomendo!

sexta-feira, 17 de julho de 2009

A deliciosa arte de não fazer nada


Um dia desses, véspera de um feriado prolongado, eu estava num congestionamento de uma avenida em São Paulo. Eu ouvia, pelo rádio, a notícia de que outras avenidas da cidade também estavam com trânsito lento bem como as estradas pois com certeza um grande número de pessoas iriam viajar. Fiquei imaginando que aquele feriado prolongado seria para muitas pessoas a oportunidade de dar uma pausa e ter um descanso. Uma pausa é necessária, indispensável, cobiçada pela maioria das pessoas que vivem na agitação de uma cidade grande. Mas será mesmo que aproveitamos os nossos momentos de lazer para realmente dar uma pausa e descansar? Será que essa pausa existe num mundo que funcionar 24 horas por dia parece não ser o bastante? Será que o nosso lazer é feito de descanso ou de ocupações? Um bom exemplo para essa reflexão é que muitas pessoas perguntam no seu dia de folga e de descanso: "o que vamos fazer hoje?" . Esta pergunta é sempre acompanhada de uma certa ansiedade e agitação uma vez que ficar sem fazer nada nos remete também a uma grande culpa... Mas por que nos sentirmos culpados de simplesmente dar uma pausa e de descansar? Além disso, para os valores da nossa sociedade quem não tem tempo é importante chegando a ser sinônimo de pessoa bem sucedida e quem tem tempo não é sério nem responsável. A maioria das pessoas comentam: "não tenho tempo para nada!". É interessante pois fazemos tanto e realizamos tão pouco! E foi pensando nisso que eu passei o meu feriado sem fazer nada, de "pernas para o ar"! E com muito espanto, algumas pessoas me olharam, na semana seguinte, quando ao me questionarem o que eu tinha feito no feriado eu respondi: "nada!". Apenas descansei oferecendo para meu corpo e mente uma verdadeira pausa. Percebi que tive a deliciosa oportunidade de olhar para mim mesma, sair do barulho de fora, para investir no meu silêncio e paz internos. E deixo aqui uma sugestão para o seu próximo dia de folga: "não faça absolutamente nada!" Livre-se da culpa e da ansiedade e se dê ao luxo de olhar para o céu, para as estrelas, para a copa das árvores e principalmente de olhar para você mesmo. E como já dizia um velho ditado chinês: "nada fazendo, a primavera vem e a grama cresce por si!"

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Saudades

Segundo o dicionário, saudade é "uma recordação suave e melancólica de pessoa ausente ou coisa distante, que se deseja tornar a ver ou possuir." A saudade até pode ser um sentimento confortante mas desde que saibamos abrir espaço para que coisas novas entrem em nossa vida.

Para as pessoas que se encontram excessivamente apegadas ao passado podemos indicar a essência floral Honeysuckle que vai proporcionar a libertação da mente das lembranças passadas adquirindo lições com as experiências já vivenciadas e concentrando seus pensamentos no presente.

Para saber mais: Livro: Um convite à harmonia: como os Florais de Bach contribuem para o despertar do equilíbrio e da paz interior / Autora: Valquiria Rita Geraldini / Edições Inteligentes Pedidos no Disq Floral: (11) 30815217 / Informações sobre atendimentos em Terapia Floral: floraisesaude@gmail.com

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Vamos praticar a aceitação?

Algumas situações requerem análise clara, mas apenas a análise não finaliza o assunto. A mente fica repetindo os eventos e ficamos tentando manter nossa objetividade. Mas a aceitação pode clarear os sentimentos subjetivos e nos permitir seguir com nossa vida. Aceitação não significa negar ou reprimir, mas é uma profunda sabedoria em perceber que nada mais pode ser feito em determinadas situações. Tudo o que podemos fazer é aprender com a experiência e seguir o caminho.
Segundo Deepak Chopra em seu livro "As sete leis espirituais do sucesso" você pode praticar a aceitação, dizendo a si mesmo "Hoje aceitarei pessoas, situações, circunstâncias, fatos como eles se manifestarem. Minha aceitação será total e completa; verei as coisas como são no momento em que ocorrerem e não como eu gostaria que fossem".
Passei esta afirmação para uma ficha que deixo ao lado da cama, antes de dormir, para ler ao me levantar pela manhã. Tenho observado que estou muito mais tranquila e serena com aspectos da minha vida que por mais que eu tentasse não conseguia mudar. Recomendo este exercício para todos aqueles que desejam praticar a aceitação.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Para pensar...

Tudo o que nos irrita em outras pessoas pode nos conduzir à compreensão de nós mesmos.
Carl Jung

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Felicidade e autoestima



Atualmente estou lendo a obra do psicoterapeuta italiano Giulio Cesare Giacobbe. Seus livros são simplesmente deliciosos!! Ele é também professor de psicologia na Universidade de Gênova e autor dos seguintes best sellers Come smettere di farsi le seghe mentali e godersi la vida, Alla ricerca delle coccole perdute, Como diventare un buddhain cinque settimane. Segue um maravilhoso texto escrito por ele em que fala sobre a felicidade e autoestima.
Se cada um de nós se dedicasse à solução do problema da sua própria felicidade, seríamos todos felizes. Mas muitos entregam aos outros o problema da própria felicidade e acham que os outros devem resolvê-lo. Porque, por mais incrível que possa parecer, a nossa felicidade não depende dos outros, mas de nós mesmos. Se você está bem consigo mesma, porque tem autoestima e amor próprio, você será feliz em qualquer situação e irá gostar de qualquer coisa. Porque você é a sua melhor amiga e está sempre em sua companhia e então nunca está só. Mas se você não tem autoestima, não se ama e sempre precisa de alguém ou de qualquer coisa fora de si que lhe dê aquela força, aquele amor e, consequentemente, aquela segurança que você própria não desenvolveu, então não somente ficará sempre à procura de alguém ou de alguma coisa que lhe dê tudo isso, como será sempre infeliz, pois jamais encontrará esse alguém ou alguma coisa. Nada e ninguém poderá dar a você aquela estima e aquele amor próprio se você mesma não os tem. Porque a estima e o amor próprio são seus sentimentos. Sentimentos que você tem dentro de você mesma. E que ninguém pode lhe dar. Os outros podem lhe dar uma ajuda inicial. Podem acionar o motor de arranque para dar partida ao motor. Mas é você quem pisa no acelerador e aumenta o giro do motor. É você quem engata as marchas. É você quem imprime velocidade e guia o automóvel de sua personalidade na estrada da vida. É você quem constrói a sua autoestima e seu amor próprio dentro de você mesma. Mas você também pode dar partida no seu motor de arranque. Acumulando vitórias. As vitórias não são os grandes sucessos. Não são a linha de chegada dos vencedores. Não são a coroa de louro, nem o aplauso do público. Não são o degrau mais alto do pódio. São as vitórias que você consegue diariamente contra a solidão, a pobreza, a fome, o cansaço, as derrotas, as desilusões, as injúrias, o desprezo, o sofrimento. São a sua resistência contra as dificuldades. São a sua coragem de enfrentá-las.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Vamos praticar compaixão?



A palavra compaixão vem do grego compathos, que significa "sentir com". A compaixão pode ser considerada como um sentimento que permite respeitar as outras pessoas como gostaríamos de ser respeitados além de despertar um delicioso estado de paz em nossa mente.

A compaixão pode ser praticada. Harry Palmer, escritor e pesquisador canadense, sugere o seguinte exercício:

Em silêncio, mentalize um familiar, amigo ou desconhecido e repita para si mesmo:

1- Exatamente como eu, esta pessoa está procurando a felicidade na sua vida.

2- Exatamente como eu, esta pessoa está tentando evitar o sofrimento na sua vida.

3- Exatamente como eu, esta pessoa já conheceu a tristeza, a solidão e o desespero .

4- Exatamente como eu, esta pessoa está buscando dar conta de suas necessidades.

5- Exatamente como eu, esta pessoa está aprendendo, a cada dia, a viver.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Paz



Paz é o silêncio da alma.

Quando as suas emoções e seus pensamentos estão no lugar certo, tudo o que você sente é paz...

Como controlar seus pensamentos e emoções?

Enfrente a realidade dos fatos.

Se você não está vivendo a situação que gostaria, aproveite o que de melhor você pode extrair dessa experiência e procure perceber o que pode fazer para melhorar.

Não se desespere e não sofra por aquilo que você não pode mudar.

Deixe-se levar, como uma pena solta aos prazeres do vento.

Soltar-se, deixar fluir.

Frequentemente queremos controlar o fluxo da vida, somos demais ansiosos.

É nas coisas simples que estão os grandes segredos e a chave para muitos questionamentos.

Você já acompanhou o movimento das nuvens formando-se no céu? Ou da água solta no riacho?

É só fazer nossa parte e deixar.

Soltar, romper laços e amarras, confiar na vida.

Isso é paz...

Extraído do livro Liberdade de Ser / Autora: Eliane de Araujoh

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Cores em casa




Você pode e deve utilizar a força poderosa das cores para trazer mais positividade para a sua casa. No local destinado à alimentação, por exemplo, podem ser usadas peças vermelhas ou laranjas, pois estas cores estimulam o apetite. Para os quartos, as cores mais indicadas são a azul, que é uma cor fria e calmante, ou a verde, que renova os fluidos do ambiente. O amarelo pode estar presente na biblioteca ou no quarto das crianças, pois estimula a atividade mental. O preto absorve e retém luz. O marrom simboliza a terra, o desejo de ficar e permanecer neste local. Talvez por isso as casas de madeira são tão aconchegantes. O marrom também simboliza humildade. A cor rosa emite naturalmente amor, paz e equilíbrio. A cor cinza representa maturidade além de afastar todo e qualquer pensamento desarmonioso. O branco, que reúne todas as cores, simboliza a paz e a tranquilidade ambiental.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

A relação entre doença e emoção: um processo histórico



Apesar de a terapia com o uso de florais ter sido consolidada a partir de 1930, as relações entre doenças e emoções já são discutidas desde os primórdios da Medicina, quando já se acreditava que as origens dos males que afligiam os indivíduos estavam associadas às emoções. Hipócrates, o chamado "pai da Medicina", acreditava que a cura era uma arte mística. Ele defendia, inicialmente, que ela se daria pelos contrários, ou seja, que seria necessária a aplicação de um medicamento oposto ao mal que acometia o paciente; no entanto, ele logo se converteu ao princípio da semelhança e à cura pela natureza.

Entre os povos primitivos, havia uma série de terapias que atuavam com base na relação de equilíbrio entre corpo e mente, como, por exemplo, a acupuntura (que existe há pelo menos 4 mil anos na China), a musicoterapia (entre os persas) e a aromaterapia (na Antiguidade).

A propriedade curativa das flores também é algo que vem desde os tempos remotos. Nesta época, já era conhecido o princípio da similaridade, e, através do aspecto externo de uma flor ou planta, era possível descobrir o tipo de distúrbio que ela erradicaria. No século 15, Paracelso coletava orvalho em florescência para tratar distúrbios emocionais.

Mas foi apenas no século 19 que o estudioso Samuel Hanehmann passou a falar concretamente em corpos físico e mental. Ele sugeriu que o equilíbio entre os dois seria responsável pela cura das enfermidades e, assim, consolidou o princípio pela semelhança, o que se equipara à atuação das vacinas, que tratam os pacientes com o próprio agente da doença. Os estudos de Hanehmann foram fundamentais para que o Dr. Edward Bach pudesse descrever, décadas depois os florais.

Fonte: Guia de florais número 1 / On line editora

Para saber mais sobre florais: Livro: Um convite à harmonia: como os Florais de Bach contribuem para o despertar do equilíbrio e da paz interior / Autora: Valquiria Rita Geraldini / Edições Inteligentes Pedidos no Disq Floral: (11) 30815217 / Informações sobre atendimentos em Terapia Floral: floraisesaude@gmail.com

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Cuide dos seus pensamentos!



Você é responsável por seus pensamentos, sentimentos e comportamento. Os pensamentos tem grande poder. Você cria seus pensamentos e experiências através dos pensamentos que você escolhe pensar. Você tem a habilidade de guiar ativamente seus pensamentos de uma forma positiva. O que você pensa se torna verdade para você. Quanto mais você mantém um pensamento na mente, mais poder você confere a ele. Os pensamentos são como sementes plantadas na mente. Cuide deles!!!

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Como fazer acontecer



Caminhos para um efetivo fazer acontecer - Parte 2

11- Seja natural. Não seja derrotado pelo "excesso de esforço". Faça o que tem que ser feito e mantenha tranquilidade interior. Dê espaço para a natureza também fazer a sua parte...

12- Pense sempre nos riscos e nas recompensas. Não se deixe imobilizar pelos riscos. Equilibre sempre tentando visualizar as recompensas possíveis. Uma vez que o balanço lhe pareça equilibrado, aja conforme a sua intuição.

13- Neutralize os palpiteiros inconsequentes. Não se deixe influenciar por "opiniões" irresponsavelmente colocadas pelos outros. Aprenda distinguir conselhos sábios/bem intencionados de comentários "rotineiramente" jogados pelas pessoas.

14- Evite lucubrar. Não desperdice energia lucubrando demais, principalmente se forem especulações negativas. Ao invés disso, comece a caminhar, mesmo através de um pequeno passo. (lucubrar: dedicar-se a longos trabalhos intelectuais).

15- Seja transparente. Nem sequer pense desonestamente pois isso drena sua energia. (Já imaginou quanto de energia gastamos, para proteger a mentira contada ontem?). Ser transparente multiplica a energia. Energia que faz acontecer.

16- Seja generoso. "A generosidade move montanhas". As coisas fluem melhor à sua volta porque a generosidade faz agir. "Picuinhas", ao contrário, imobilizam as pessoas.

17- Aja sempre numa postura ganha-ganha. Evite a postura do tirar vantagem de tudo. Aja pensando em benefícios para todos. As coisas passam a acontecer com mais fluidez.

18- Confie 100% em sua força interior. Fazer acontecer exige fé. Principalmente em si mesmo. É essa convicção que o deixa solto para fazer o que é necessário.

19- Busque excelência, sempre. Um fazer acontecer efetivo deve sempre estar ancorado na busca do melhor, do perfeito, do ideal. Quão próximos chegaremos à perfeição é outra coisa. O alvo, porém, deve sempre ser a perfeição.

20- Chute acomodação e "imobilismo" para longe de você. A capacidade de fazer acontecer é algo para ser aperfeiçoado pela vida toda. Não se acomode. Procure sempre melhorar seu próprio recorde.

Fonte: Dicas Tilibra

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Como fazer acontecer



Caminhos para um efetivo fazer acontecer - Parte 1

1- Visualize com detalhes, como se tudo já estivesse realizado. Imagine com detalhes o estado desejado. Essa imagem cristalina é algo que irá naturalmente orientá-lo quanto ao que deve ser feito (como começar etc).

2- Dê rapidamente o primeiro passo. Confie nos "lampejos" que você tem. Se você sente confiança interior, (não pense em explicar) aja sem hesitação e dê o primeiro passo. A natureza fará a sequência acontecer (outros passos seus e de outras pessoas que você toca no primeiro movimento).

3- Faça tudo de "corpo e alma". Não seja "morno" "fazendo por fazer". Até o "impossível" se torna possível quando nos envolvemos integralmente.

4- Faça tudo com muita boa vontade e prazer. A probabilidade de dar certo aumenta tremendamente quando fazemos tudo com a mente alegre.

5- Seja otimista. Não se deixe influenciar pelos cínicos e pelos pessimistas. Ajude a construir o ideal, a cada dia dando o passo do dia.

6- Concentre-se nos seus pontos fortes. Ao invés de se deixar bloquear por eventuais pontos fracos, ancore-se no que você tem de melhor.

7- Concentre energia. Evite desperdiçar energia fazendo as coisas "de forma picada" , ou começando muitos projetos sem nada concluir.

8- Decole e vá aperfeiçoando em pleno vôo. Planeje o suficiente. Evite "afogar-se" em "planejamentos" que nunca terminam" ou planos que nunca saem do papel.

9- Esteja sempre focado na busca de soluções. Use sua energia na busca de soluções ao invés de desperdiçá-la dedicando-se somente a problemas.

10- Crie condições favoráveis. Procure trabalhar as barreiras positivamente até que elas se enfraqueçam ou desapareçam ao invés de tentar atravessá-las à força.

Fonte: Dicas Tilibra

sexta-feira, 17 de abril de 2009

A cura pelas flores


Em algum momento da vida, é normal sentir medo, ansiedade, raiva, insegurança... O problema está, na verdade, nos chamados sintomas orgânicos que esses desequilíbrios podem acarretar no organismo. Essas alterações indicam que o estado emocional está comprometido, e as energias vitais, sendo canalizadas de modo errado ou, até mesmo, bloqueadas.
Assim é necessário encontrar maneiras de trabalhar os sentimentos e curar as doenças que afligem a todos. É aí que entra a teoria proposta por Edward Bach, médico bacteriologista e patologista formado em 1912. Durante anos de trabalho no Hospital Homeopático de Londres, ele percebeu que um único medicamento, prescrito para a mesma doença, provocava reações diferentes em cada pessoa. Na verdade, o médico havia feito uma grande descoberta: a de que cada indivíduo reage de determinada forma à mesma doença. A partir de então, ele passou a considerar seus pacientes como um todo e a tratá-los por grupos de semelhança de comportamento, obtendo resultados significativos. Ou seja, a personalidade do paciente era considerada para Bach, a principal indicação do tratamento exigido. O panorama da vida do doente, suas emoções e seus sentimentos eram fatores fundamentais no tratamento de suas incapacidades físicas.
Sob o viés da homeopatia, Bach passou a buscar formas mais suaves e naturais de cura, e chegou a criar algumas vacinas. Além disso, procurou na natureza, mais especificamente nas plantas e nas flores, os componentes de seus medicamentos. Em 1928, descobriu as três primeiras flores do sistema: Impatiens, Mimulus e Clematis, que passaram a ser utilizadas em seus pacientes, sempre respeitando as particularidades de cada um, mesmo que a doença fosse a mesma. Anos mais tarde Dr. Bach chegou, ao todo, a 38 essências, que contituem um complexo sistema de cura em que a pessoa é tratada por inteiro.
Os florais de Bach estabelecem contato e harmonia com a verdadeira fonte de energia da pessoa. Esses medicamentos buscam chegar à raiz dos problemas e erradicar devidamente a causa dos desequilíbrios, após uma análise da personalidade e do quadro emocional do paciente. À medida que o organismo se reequilibra, os sintomas desaparecem gradativamente. Os florais podem ser usados concomitantemente com alopatia e homeopatia.
Para saber mais: Livro: Um convite à harmonia: como os Florais de Bach contribuem para o despertar do equilíbrio e da paz interior / Autora: Valquiria Rita Geraldini / Edições Inteligentes Pedidos no Disq Floral: (11) 30815217
Informações sobre atendimentos em Terapia Floral:
floraisesaude@gmail.com

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Limpeza



Para manter a mente sempre limpa, nunca crie dúvidas sobre si e sobre os outros. De acordo com os seus pensamentos, assim será a qualidade dos seus sonhos. Seja como um guerreiro que avança com determinação no campo de batalha com a espada dos pensamentos positivos e dos bons sentimentos para todos. Ao manter na mente só o que é puro, as coisas velhas deixarão de influenciar você. Assim você conseguirá colocar um ponto final no passado e encarar o futuro com confiança.

Uma linda Páscoa para todos!

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Radiestesia




Na semana passada, fui a uma palestra sobre Radiestesia. O termo deriva da combinação da palavra grega aesthesis com a latina radhius e significa sensibilidade à radiação. Para detectar as ondas nocivas, os profissionais utilizam alguns instrumentos como o pêndulo e o dual road, duas varetas que, quando ficam paralelas, indicam que tudo está bem, mas, quando se cruzam, sinalizam que há pontos com carga nociva denominados problemas geopáticos. Eles são originados de lençóis de água subterrâneos, ruptura nas rochas, esgotos entre outros. Os efeitos nocivos das tensões geopáticas são: depressão, dores de cabeça, distúrbios do sono, nervosismo bem como doenças. Uma dica para a correção do problema é realizar mudanças de mobília principalmente da posição da cama. Além disso, para garantir um sono tranquilo, evite dormir perto de aparelhos eletrônicos pois a carga liberada por eles pode perturbar o sono.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Tolerância


Tolerância é continuar mesmo quando você é jogado contra uma parede muito dura. Um quadrado não pode pular, porque tem linhas retas, mas a bola pode porque é redonda e é geralmente leve. Seja de que tamanho for, ela pulará. Andar em linha reta é perder a implicação das coisas, é ser limitado e ditado pelo presente. Essa vida é só o que existe e com essa postura você mira os seus propósitos diretamente sem amplitude nem beleza. E os cantos do quadrado, as mudanças repentinas de direção, podem machucar as pessoas. Não se associa a bola com machucar, mas com jogar.
A tolerância vem de perceber que tudo é como um enigma, tudo funciona em círculos, e saber que o que é desconfortável logo mudará. Há movimento constante na tolerância, há flexibilidade, porque se está feliz com a mudança. O quadrado encontra sua posição, e isso é tudo. O tolerante pode se adaptar a qualquer situação e introduzir um elemento de diversão e humor. O humor pode vir de muitas coisas: da necessidade de superar a imperfeição, a mágoa ou o desespero, mas o humor da tolerância vem do otimismo.
Depois disso, temos de amar as pessoas não de maneira superficial, mas como seres que possuem um intricado padrão de experiências interiores, um talento singular em seus corações que na maioria das vezes está encoberto. Quando você começa a olhar nos olhos das pessoas e perceber como são raras, fazendo com que elas também encontrem sua raridade, então a tolerância torna-se fácil. É a expressão do seu respeito pela qualidade, por ter uma vida excepcional. Onde não há tolerância, tudo é comum, o que é uma pena. É como ficar à margem das coisas. Tolerar é aceitar o jogo e aproveitá-lo.

Retirado do livro Beleza Interior / Autora: Anthea Church / Editora Brahma Kumaris

sexta-feira, 13 de março de 2009

Pipoca......


Compartilhando um delicioso texto estraído do livro "O amor que acende a lua" de Rubem Alves.

"Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre.
Assim acontece com a gente.
As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.
Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira.
São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa.
Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.
Mas, de repente, vem o fogo.
O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor.
Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder o emprego ou ficar pobre.
Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos.
Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo!
Sem fogo o sofrimento diminui. Com isso a possibilidade da grande transformação também.
Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer.
Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente para si.
Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela.
A pipoca não imagina do que ela é capaz.
Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece:
BUM!
E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado.
Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar.
São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar.
Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem.
A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura.
No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira.
Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva.
Não vão dar alegria para ninguém."

sexta-feira, 6 de março de 2009

Dica de filme


Esta semana passei na locadora para alugar alguns filmes. Entre eles peguei um filme um pouco antigo do cinema italiano com o nome de Pão e Tulipas. Recomendo a todos que ainda não assistiram. A história é delicada, bela e gentil mostrando o quanto sempre é tempo de realizarmos mudanças em nossas vidas. Segue abaixo a sinopse:

" Tudo poderia ser apenas um pequeno incidente de férias, daqueles que se pode rir depois, logo que se chega em casa. Porém, o fato do ônibus de excursão partir sem Rosalba, e nem mesmo o marido e dois filhos sentirem sua falta no grupo, torna-se subitamente, uma porta aberta para uma fantástica virada de vida. Um encontro casual, um pequeno descuido, uma estranha coincidência, uma mudança do destino. Não que Rosalba já houvesse pensado muito no assunto, mas agora, em pé, ridicularmente esquecida à beira da estrada... Esta recém liberdade e seu auto descobrimento a jogam num excitante mundo de beleza e sensualidade. Ambientado em Veneza este delicado filme do diretor Silvio Soldini monta com doçura personagens irreais, tão sedutores, capazes de fazer o público torcer pela sua existência", Jornal do Comércio.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Bem estar


O Bem estar não acontece sem mais nem menos. Você não pode simplesmente estalar os dedos e decidir que vai sentir-se bem sem fazer um esforço consciente. Viver em equilíbrio significa dedicar algum tempo à auto renovação. Isso só depende de você. Você pode se renovar através do relaxamento. Ou pode se consumir inteiramente, no caso de se exceder em tudo o que faz. Pode mimar a si mesmo no plano mental ou espiritual. Ou pode atravessar a vida indiferente ao seu bem estar. Pode sentir uma energia vibrante. Ou pode entregar-se e deixar escapar os benefícios de uma boa saúde. Pode revitalizar-se para enfrentar um novo dia em paz e harmonia. Ou pode acordar com uma enorme apatia porque sua disposição já se foi há muito tempo. Lembre-se apenas de que cada dia oferece uma nova oportunidade de renovação. Uma nova oportunidade para recarregar as baterias em lugar de esmurrar a parede.

Retirado do livro "Os 7 hábitos compactos das pessoas altamente eficazes. Renovação" / Negócio Editora

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Comer, Rezar, Amar

Atualmente estou lendo o livro Comer, Rezar, Amar (Editora Objetiva). Estou adorando. Quatro meses na Itália, quatro na Índia e quatro na Indonésia. Essa é a aventura da jornalista americana Elizabeth Gilbert no livro. Com um texto delicioso e engraçado, ela descreve o ano que mudou sua vida depois de um divórcio dramático. A jornalista leva o leitor para meses de aprendizado pelo idioma e pela cozinha italianos, pela espiritualidade em um retiro na Índia e pela descoberta da capacidade de amar novamente, na Indonésia.
Simplesmente uma leitura imperdível!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Conhecendo floral feito de água

Entre os florais criados pelo Dr. Edward Bach na década de 30, Rock Water é o único que não é obtido de uma planta. É coletado de uma fonte de água na Inglaterra. É indicado para pessoas que são inflexíveis, perfeccionistas e que vivem seguindo padrões e expectativas bastante elevados que impõe para si própria. Gostam de ser um modelo de perfeição para os outros e quando não alcançam as altas expectativas que estabeleceram para si sentem-se decepcionadas consigo mesmas.
Rock water vai proporcionar que estas pessoas não sejam tão exigentes consigo mesmas, mantendo ainda seus ideais elevados, porém com uma mente aberta e flexível.
Para saber mais: Livro: Um convite à harmonia: como os Florais de Bach contribuem para o despertar do equilíbrio e da paz interior / Autora: Valquiria Rita Geraldini / Edições Inteligentes Pedidos no Disq Floral: (11) 30815217
Informações sobre atendimentos em Terapia Floral: floraisesaude@gmail.com

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

A fé


"Para aqueles que tem fé em si e nas coisas, só existe positividade. Em todas as circunstâncias, há apenas oportunidades e tesouros. A cada momento, há uma necessidade interior em descobrir estes tesouros e fazer melhor uso deles. Quando somos capazes de avançar com fé, somos incentivados a dar o nosso melhor em todas as situações. Somos capazes de usufruir os melhores frutos do esforço que fizemos. Fé nos dá coragem para prosseguir em tempos difíceis. Fé nos dá poder para trazer constante mudança e progresso em nossa vida."

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

A crise


Compartilho este interessante texto enviado pela minha amiga Rosana.

Um homem vivia à beira de uma estrada e vendia cachorro quente. Ele não tinha rádio, não tinha televisão e nem lia jornais, mas produzia e vendia o melhor cachorro quente da região. Ele se preocupava com a divulgação do seu negócio e colocava cartazes pela estrada, oferecia o seu produto em voz alta e o povo comprava e gostava. As vendas foram aumentando e, cada vez mais ele comprava o melhor pão e a melhor salsicha. Foi necessário também adquirir um fogão maior para atender a grande quantidade de fregueses. E o negócio prosperava e prosperava . . . Seu cachorro quente era o melhor! Vencedor, ele conseguiu pagar uma boa escola ao filho. O menino cresceu, e foi estudar Economia numa das melhores faculdades do país. Finalmente, o filho já formado, voltou para casa, notou que o pai continuava com a vida de sempre, vendendo, agradando e prosperando e teve uma séria conversa com o pai:
- Pai, então você não ouve radio? Você não vê televisão? Não acessa a Internet e não lê os jornais? Há uma grande crise no mundo. A situação do nosso País é crítica. Está tudo ruim. O Brasil vai quebrar.
Depois de ouvir as considerações do filho Doutor, o pai pensou: Bem, se meu filho que estudou Economia na melhor Faculdade, lê jornais, vê televisão e internet, e acha isto, então só pode estar com a razão! Com medo da crise, o pai procurou um Fornecedor de pão mais barato ( e é claro, pior ). Começou a comprar salsichas mais barata ( que era, também, a pior ). Para economizar, parou de fazer cartazes de propaganda na estrada. Abatido pela noticia da crise já não oferecia o seu produto em voz alta. Tomadas essas 'providências', as vendas começaram a cair e foram caindo, caindo e chegaram a níveis insuportáveis e o negócio de cachorro quente do velho, que antes gerava recursos até para fazer o filho estudar Economia na melhor Faculdade quebrou. O pai, triste, então falou para o filho:
- Você estava certo, meu filho, nós estamos no meio de uma grande crise, e comentou com os amigos, orgulhoso:
- Bendita a hora em que eu fiz meu filho estudar economia, ele me avisou da crise.
Aprendemos uma grande lição : Vivemos em um mundo contaminado de más noticias e se não tomarmos o devido cuidado, essas más noticias nos influenciarão a ponto de roubar a prosperidade de nossas vidas.
O texto original foi publicado em 24 de fevereiro de 1958 em um anúncio da Quaker State Metais Co. Em novembro de 1990 foi divulgado pela agência ELLCE, de São Paulo.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

A gratidão

A gratidão revela o quanto a vida é completa. Ela faz o que temos ser suficiente, e ainda mais do que isso. Transforma negação em aceitação, caos em ordem, confusão em clareza. Pode fazer de uma refeição um banquete, de uma casa um lar, de um estranho um amigo. A gratidão dá sentido a nosso passado, traz a paz para hoje e cria uma visão para amanhã.
O que é particularmente belo numa atitude de gratidão é que ela nos conecta a tudo o que existe. É o reconhecimento de nossa ligação com a vida como um todo. A consciência desse reconhecimento estimula o fluxo: quanto mais gratidão sentirmos, mais abundância vital haverá em nossa existência.
Um excelente começo é mostrar gratidão por aquilo que já temos. Reconhecer as bençãos recebidas pode ser um gigantesco rumo à plena participação no fluxo da abundância.
Para saber mais sobre a maravilhosa prática da gratidão recomendo o livro O Poder da Gratidão de M. J. Ryan publicado pela Editora Sextante

sábado, 17 de janeiro de 2009

Estamos constantemente alegres?


A resposta é simples:
Estamos alegres quando nos permitimos estar e estamos tristes quando assim o queremos.
A grande sabedoria reside em sermos portadores de recursos necessários para tornar a vida como desejarmos.
Estes recursos são: atenção e seleção aos nossos pensamentos e sentimentos, não permitindo ser controlado por aquilo que não nos traz paz de espírito. Observe seus sentimentos com profundidade e atenção.
Você tem a opção de mudar, se assim desejá-lo:
Depende de você.