sexta-feira, 24 de julho de 2009

Dica de livro

Terminei nesta semana, a leitura do romance "Amor em Minúscula" escrito pelo espanhol Francesc Miralles. O livro é uma delicada e doce história mostrando que um pequeno gesto de bondade pode desatar uma cadeia de acontecimentos que lhe devolvem um amor multiplicado. Adorei a leitura e recomendo!

sexta-feira, 17 de julho de 2009

A deliciosa arte de não fazer nada


Um dia desses, véspera de um feriado prolongado, eu estava num congestionamento de uma avenida em São Paulo. Eu ouvia, pelo rádio, a notícia de que outras avenidas da cidade também estavam com trânsito lento bem como as estradas pois com certeza um grande número de pessoas iriam viajar. Fiquei imaginando que aquele feriado prolongado seria para muitas pessoas a oportunidade de dar uma pausa e ter um descanso. Uma pausa é necessária, indispensável, cobiçada pela maioria das pessoas que vivem na agitação de uma cidade grande. Mas será mesmo que aproveitamos os nossos momentos de lazer para realmente dar uma pausa e descansar? Será que essa pausa existe num mundo que funcionar 24 horas por dia parece não ser o bastante? Será que o nosso lazer é feito de descanso ou de ocupações? Um bom exemplo para essa reflexão é que muitas pessoas perguntam no seu dia de folga e de descanso: "o que vamos fazer hoje?" . Esta pergunta é sempre acompanhada de uma certa ansiedade e agitação uma vez que ficar sem fazer nada nos remete também a uma grande culpa... Mas por que nos sentirmos culpados de simplesmente dar uma pausa e de descansar? Além disso, para os valores da nossa sociedade quem não tem tempo é importante chegando a ser sinônimo de pessoa bem sucedida e quem tem tempo não é sério nem responsável. A maioria das pessoas comentam: "não tenho tempo para nada!". É interessante pois fazemos tanto e realizamos tão pouco! E foi pensando nisso que eu passei o meu feriado sem fazer nada, de "pernas para o ar"! E com muito espanto, algumas pessoas me olharam, na semana seguinte, quando ao me questionarem o que eu tinha feito no feriado eu respondi: "nada!". Apenas descansei oferecendo para meu corpo e mente uma verdadeira pausa. Percebi que tive a deliciosa oportunidade de olhar para mim mesma, sair do barulho de fora, para investir no meu silêncio e paz internos. E deixo aqui uma sugestão para o seu próximo dia de folga: "não faça absolutamente nada!" Livre-se da culpa e da ansiedade e se dê ao luxo de olhar para o céu, para as estrelas, para a copa das árvores e principalmente de olhar para você mesmo. E como já dizia um velho ditado chinês: "nada fazendo, a primavera vem e a grama cresce por si!"

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Saudades

Segundo o dicionário, saudade é "uma recordação suave e melancólica de pessoa ausente ou coisa distante, que se deseja tornar a ver ou possuir." A saudade até pode ser um sentimento confortante mas desde que saibamos abrir espaço para que coisas novas entrem em nossa vida.

Para as pessoas que se encontram excessivamente apegadas ao passado podemos indicar a essência floral Honeysuckle que vai proporcionar a libertação da mente das lembranças passadas adquirindo lições com as experiências já vivenciadas e concentrando seus pensamentos no presente.

Para saber mais: Livro: Um convite à harmonia: como os Florais de Bach contribuem para o despertar do equilíbrio e da paz interior / Autora: Valquiria Rita Geraldini / Edições Inteligentes Pedidos no Disq Floral: (11) 30815217 / Informações sobre atendimentos em Terapia Floral: floraisesaude@gmail.com

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Vamos praticar a aceitação?

Algumas situações requerem análise clara, mas apenas a análise não finaliza o assunto. A mente fica repetindo os eventos e ficamos tentando manter nossa objetividade. Mas a aceitação pode clarear os sentimentos subjetivos e nos permitir seguir com nossa vida. Aceitação não significa negar ou reprimir, mas é uma profunda sabedoria em perceber que nada mais pode ser feito em determinadas situações. Tudo o que podemos fazer é aprender com a experiência e seguir o caminho.
Segundo Deepak Chopra em seu livro "As sete leis espirituais do sucesso" você pode praticar a aceitação, dizendo a si mesmo "Hoje aceitarei pessoas, situações, circunstâncias, fatos como eles se manifestarem. Minha aceitação será total e completa; verei as coisas como são no momento em que ocorrerem e não como eu gostaria que fossem".
Passei esta afirmação para uma ficha que deixo ao lado da cama, antes de dormir, para ler ao me levantar pela manhã. Tenho observado que estou muito mais tranquila e serena com aspectos da minha vida que por mais que eu tentasse não conseguia mudar. Recomendo este exercício para todos aqueles que desejam praticar a aceitação.